Buscar
  • Andréia Lima

Fisioterapia e Síndrome do Impacto no ombro

A síndrome do impacto do ombro ou síndrome do impacto subacromial é uma patologia inflamatória e degenerativa, caracterizada pelo impacto mecânico repetitivo e compressão das estruturas locais.


É considerada uma das desordens mais dolorosas, atingindo até 65% dos casos como fator contribuinte para as queixas álgicas do ombro. Estima-se que a cada três pessoas, uma sofra de dor no ombro no decorrer da vida, do qual 40% a 50% dos indivíduos permanecem funcionalmente comprometidos.




Seu mecanismo de lesão pode ocasionar um espectro de patologias, incluindo tendinose, tendinite calcificada, rupturas parciais dos músculos do manguito rotador, bursite subacromial, entre outros. Essa condição dolorosa conduz à diminuição da força muscular e da amplitude de movimento.


A fisioterapia é recomendada como a primeira alternativa de tratamento conservador para pacientes com síndrome do impacto subacromial. No geral, há diferentes intervenções, como terapias manuais com mobilizações e manipulações, liberação miofascial, eletroterapia, crioterapia, exercícios de fortalecimento muscular, controle motor e reeducação postural para adaptações das atividades diárias.


O tratamento, se bem estruturado, apresenta bons resultados de curto, médio e longo prazo. Proporcionando a melhora da dor, recuperação da mobilidade e da força muscular, consequentemente, otimizando a qualidade de vida.


Referências:

Neer CSII. Impingement lesons. Clinical Orthopaetics and Related Research, 1983; 70-77 Van der Heijden GJ. Shoulder disorders: a review of the state of the art. Best Practice and Research: Clinical Rheumatology, 1999; 13(2):287–309 Koester MC, George MS, Kuhn JE. Shoulder impingement syndrome. American Journal of Medicine, 2005; 118(5):452-455 Diercks R, Bron C, Dorrestijn O et al. Guideline for diagnosis and treatment of subacromial pain syndrome. Acta Orthopaedica, 2014; 85(3):314–322


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo